Última atualização em .

Bolsas caem mundo a fora, menos o BR animado com reformas

Uma visão de queda das ações globais nessa quarta-feira com as taxas de títulos de dívida pública dos EUA diminuindo, enquanto os investidores pesavam sinais de risco nos mercados e com a política dos EUA.

Rally das ações nos EUA fez uma pausa depois de obter uma nova resistência (topo), alimentado pela melhoria das perspectivas da reforma fiscal nos EUA que reduziria os impostos sobre as empresas.

Mas os investidores estão agora esperando para ver a legislação tributária final, enquanto um eminente encerramento do orçamento 2017 dos Estados Unidos se estabelece se o Congresso não concordar com um pacote de gastos adicional para cobrir despesas ainda desse ano.

Ao mesmo tempo, os mercados apresentaram sinais interessantes. O cobre, que é visto como um indicador da demanda global, registrou o maior declínio em mais de dois anos na terça-feira, enquanto a curva de rendimento dos EUA parae os títulos do Tesouro de dois e dez anos continuou a declinar, outro reflexo potencial das preocupações com a economia.

A Bovespa aparentou fechar em queda hoje mas no meio da tarde o PMDB fechou questão em apoio à reforma da previdência e isso animou os investidores e subiu 1% no pregão de hoje. Foram negociados R$ 8,5 bi na B3 (bovespa).

 

Pingbacks

Pingbacks estão abertas.

Trackbacks

Trackback URL

Comentários

Ainda não há comentários.

Publique seu comentário