Última atualização em .

Indústria da construção enfrenta dificuldades para se recuperar

A atividade e o emprego na indústria da construção registraram nova queda em junho. Mas a retração foi menos intensa do que a verificada em maio, quando o setor sentiu o impacto da greve dos caminhoneiros. O indicador de nível de atividade alcançou 46,7 pontos e o de número de empregados ficou em 43,4 pontos no mês passado, informa a Sondagem Indústria da Construção, divulgada nesta sexta-feira (27) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem pontos. Quando estão abaixo de 50, indicam queda na produção e no emprego.

Conforme a pesquisa, o nível de atividade está 2,3 pontos acima do de maio. Com isso, o setor continua operando com elevada ociosidade. O nível de utilização da capacidade de operação aumentou 2 pontos percentuais em relação a maio e ficou em 57% em junho. Isso significa que a indústria da construção operou com 43% das máquinas, equipamento e pessoal parados no mês passado. 

De acordo com a economista da CNI Isabel Mendes o setor enfrenta dificuldades para sair da crise especialmente por causa do elevado custo dos financiamentos e do desemprego. “Os altos custos do crédito são um obstáculo para as empresas e para quem quer investir em imóveis ou outras obras. Além disso, com o mercado de trabalho em crise, as pessoas ou não dispõe de renda ou se sentem inseguras para comprar imóveis”, afirma Isabel Mendes.

 

Pingbacks

Pingbacks estão abertas.

Trackbacks

Trackback URL

Comentários

Ainda não há comentários.

Publique seu comentário