Última atualização em .

Wall Street amplia perdas com dados de alta da inflação

Taxa de inflação dos EUA é a mais alta desde 1990

Wall Street fechou em queda nos EUA nessa quarta-feira depois que novos números do IPC mostraram que a inflação saltou mais do que o esperado para 6,2% (12 meses) em outubro e marcou a maior leitura desde 1990, levantando novas preocupações de que as pressões de preços pesarão sobre a economia demorem por mais tempo do que o esperado. Os traders também tentam avaliar como a inflação surpreendentemente alta pode impactar os planos de aumento das taxas do Fed, embora o governo americano continue a reiterar que as pressões sobre os preços são transitórias. O Dow Jones caiu cerca de 0,7%, o S&P 500 perdeu 0,8% e o Nasdaq Composite caiu 1,7%. Na frente corporativa, as ações da Tesla recuperaram 4,3% após cair 12% durante a última sessão de ontem. Nesse ínterim, as ações das empresas do setor de energia caíram com a queda dos preços do petróleo, enquanto as ações de tecnologia, como Apple e Microsoft, também foram jogadas para baixo. A temporada de divulgação de resultados contábeis das empresas no terceiro trimestre está em sua reta final, acumulando - entre as empresas que divulgaram os resultados - um total de 81% de relatórios melhores do que o esperado.

No Brasil, o Ibovespa resistiu e fechou em alta, graças aos bancos e à PEC dos precatórios, mesmo com a aceleração da inflação por aqui e dos juros americanos aumentando o receio com a Selic. O Ibovespa encerrou em alta de 0,52% a 106.087 pontos, sustentado pelo setor financeiro e por otimismo após a aprovação ontem da Proposta de Emenda Constitucional dos Precatórios em segundo turno na Câmara dos Deputados. O índice, porém, reduziu bastante os ganhos durante a tarde com pressão das commodities e alta dos juros longos americanos, enquanto investidores digeriam os dados de inflação acima do esperado no Brasil e nos Estados Unidos. Nessa linha, o dólar futuro subiu 0,22% a R$5,511 e os contratos futuros de juros de curto prazo avançou em até 6,5 pontos-base. Os destaques de hoje foram para Ambev (ABEV3) -0,78%, Itaú (ITUB4) +2,53%, Bradesco (BBDC3) +4,72%, Petrobrás ON (PETR3) -0,83% e Petrobrás PN (PETR4) -0,79%.

Pingbacks

Pingbacks estão abertas.

Trackbacks

Trackback URL

Comentários

Ainda não há comentários.

Publique seu comentário